Apresentação de trabalho: Os desafios da educação musical remota em uma escola rural

Olá! No comecinho do mês rolou o XIV Encontro de Educação Musical da Unicamp, em sua segunda edição online. Depois vou fazer um post sobre o evento em si, mas o que achei mais interessante é que o EEMU teve um formato de apresentação das comunicações orais através de vídeos previamente gravados. Foge um pouco do esquema de google meet que ninguém aguenta mais e permite que você assista às apresentações no horário mais conveniente.

Vou compartilhar aqui o vídeo da minha apresentação então. O título dela é: Os desafios da educação musical remota em uma escola rural: relato de experiência. Quando forem publicados os anais eu posto aqui o texto completo. O único problema do vídeo é que a parte que eu gravei com a câmera do celular ficou mais baixa que a parte gravada com o notebook, então tem uma oscilação quando aparece minha cara.

Espero que vocês gostem!


A música na educação básica: caminhos tortuosos, reflexões e resistências (existências)

Oie! Começando o projeto de colocar todas as minhas publicações aqui no blog, vou começar pelas mais recentes. Este é um artigo que escrevi para o II Jornada Fladem e Fórum Latino-americano de Música na Educação Básica do FLADEM Brasil. Para a minha maior surpresa, gostaram tanto do meu artigo que me chamaram para apresentá-lo no formato de mesa! Foi uma viagem muito emocionante (o evento foi em João Pessoa) e fiquei muito feliz.

A música na educação básica: caminhos tortuosos, reflexões e resistências (existências)

Resumo: Este artigo buscou fazer a partir de pesquisa bibliográfica um levantamento histórico do ensino de música no Brasil, desde o período de colonização, passando pela criação do primeiro conservatório, chegando até o ensino nas escolas, específico ou polivalente. Depois da apresentação histórica, faz reflexões sobre o panorama político-educacional atual e a importância de persistir e resistir na arte-educação dentro de uma concepção de educação
libertadora.
Palavras-chave: educação básica; história do ensino de música; políticas educacionais.

Baixe em pdf.

Para citar:

KAWAGUCHI CESAR, Patricia. A música na educação básica: caminhos tortuosos, reflexões e resistências (existências). In: II Jornada Fladem Brasil, 2019, João Pessoa. Anais… João Pessoa, IFPB, 2019.


Como tem sido dar aulas na pandemia

Aqui neste post vou falar um pouco sobre como está sendo dar aulas em uma escola rural numa cidade do interior paulista nessa pandemia. Sou professora de Artes e Música em Piracaia (o município coloca a Música como disciplina separada, sonho de toda pessoa que cursa a licenciatura).

Continue reading


Será que eu sou uma rata de congresso?

Depois do último post, o Fernando se inspirou e fez um levantamento de em quantos congressos foi durante a pós. A orientadora dele diz que ele é um rato de congresso. Resolvi fazer a minha listinha também, junto com os artigos que apresentei em cada um deles. (eventualmente eu vou postar aqui no blog, então já me ajuda nisso também)

 


trabalhando no credenciamento do EEMU

  • 2012: V Encontro de Educação Musical da Unicamp
  • 2013: VI Encontro de Educação Musical da Unicamp
  • 2013: XI Encontro de Estudantes de Graduação dos Cursos de Formação de Professores da Unicamp com o trabalho “Adaptações para uma criança cega em aulas de musicalização”
  • 2014: VII Encontro de Educação Musical da Unicamp com o trabalho “O Pibid como forma de levar a música à escola pública e a escolha de um conteúdo que desperte o interesse dos alunos”
  • 2014: International Society for Music Education 2014 World Conference com o trabalho Blogs as a tool for music education.
  • 2014: XXIV Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música
  • 2014: 6ª Semana da Música da Unimep
  • 2015: VIII Encontro de Educação Musical da Unicamp com os trabalhos “Os blogs como ferramenta para a educação musical” e “Flauta doce e musicalização no Pibid Unicamp”
  • 2015: V Jornada de Estudos em Educação Musical com o trabalho “Musicalização inclusiva: adaptações para uma criança com deficiência visual em aulas em grupo”
  • 2015: I Encontro sobre a Formação em Música na Universidade com o trabalho “A contribuição do PIBID Música na formação docente”
  • 2016: IX Encontro de Educação Musical da Unicamp
  • 2016: VI Jornada de Estudos em Educação Musical com o trabalho “A pedagogia de projeto no contexto de aulas de musicalização: um relato de experiência”
  • 2016: VI Fala Outra Escola
  • 2017: X Encontro de Educação Musical da Unicamp com os trabalhos “A importância do estágio prático na formação de estudantes de licenciatura em Música: um estudo de caso” e “Questões de gênero na aula de Música”
  • 2017: VII Fala Outra Escola com o trabalho “Educação Musical, Gênero e Sexualidade: diálogos possíveis e experiências em sala de aula”
  • 2018: XI Encontro de Educação Musical da Unicamp
  • 2018: IX Colóquio Internacional Marx Engels
  • 2018: XI Encontro Regional Sudeste da ABEM com o trabalho “Possibilidades para a música na escola pública: como o Pibid e a residência pedagógica facilitam ou não essa inserção”
  • 2018: Performa Clavis Internacional com o trabalho “Reflexões sobre o ensino de piano: rompendo com o modelo tradicional de ensino e diminuindo a distância entre licenciatura e bacharelado”
  • 2019: VIII Fala Outra Escola com o trabalho “A arte-educação resiste: como construir uma educação libertadora diante das perseguições da onda conservadora”
  • 2019: II Fórum Latino-Americano de Educação Musical na Educação Básica, apresentando a mesa redonda “A música na educação básica: caminhos tortuosos, reflexões e resistências (existências)”

 

Até que foi bastante né? Bônus: pandemia

  • XIII Encontro de Educação Musical da Unicamp, desisti de apresentar dois trabalhos porque não queria fazer gravação de vídeo
  • III Seminário Nacional do FLADEM Brasil, apresentaria um trabalho, foi suspenso
  • International Society for Music Education 2020 World Conference, apresentaria um trabalho, foi suspenso

 

Saudade de um congresso, né, minha filha? ಥ_ಥ


A suspensão do curso de licenciatura em Música na UNAERP

Olá. Este triste post é escrito com informações da querida Thais Padovani, formada na licenciatura em Música na UNAERP e atualmente fazendo bacharelado em canto na Unicamp. (que entrou em contato pra dizer que acompanhava meu blog, o que é sempre uma felicidade! ♥)

De acordo com a coordenação, o curso não foi extinto, está suspenso por causa da baixa procura pela licenciatura – o que é estranho, pois nos comentários do post da Thaís uma moça, a Cintia, diz que várias pessoas tentaram a bolsa do ProUni e não foram convocadas, então teve procura, sim. Talvez não grande o bastante para dar lucro? Esse é o problema de comercializar a educação…

Continue reading


Mini-curso gratuito: Educação musical, gênero e sexualidade

Olá! É com muita alegria que divulgo que na próxima quarta-feira, dia 25/04, eu e o querido amigo Hugo Romano Mariano ministraremos no XI Encontro de Educação Musical da Unicamp o mini-curso Educação musical, gênero e sexualidade.

Ele acontecerá das 19 às 21hs na sala 22 do Instituto de Artes. Será gratuito e aberto ao público, é só chegar! Caso queira participar das demais atividades do encontro, você pode consultar a programação aqui e realizar a sua inscrição no próprio evento. As inscrições virtuais terminam amanhã, dia 23/04.

Segue a sinopse do nosso mini-curso:

O mini-curso tem o objetivo de apresentar uma análise e descrição interdisciplinar dos conceitos de gênero e sexualidade amalgamados à educação musical a partir das perspectivas pós-estruturalista, da sociologia da música e dos estudos queer. Tal proposta traz uma reflexão sobre as três atividades principais na música – compor, ouvir e tocar – que, por sua vez, são entremeadas pelo estudo da história da música e pela aquisição de habilidades onde as poéticas musicais e práticas sociais estão envolvidas por uma reflexão sobre educação musical diante da diversidade.

Nesta perspectiva serão explicitados dados de pesquisa que mostra como educação musical, em contexto de educação formal, é elemento importante da construção das identidades de gêneros dos sujeitos. Será feita uma reflexão sobre como as crianças pequenas, em seus processos de apropriação da música, constroem os significados inerentes e delineado avaliados a partir da categoria de gênero, sob o prisma da noção de dominação masculina.

Após a exposição teórica, será proposta uma reflexão ativa sobre como as questões de gênero e sexualidade se fazem presentes no cotidiano escolar, dentro e fora da sala de aula. Faz sentido pensar nessas questões na aula de música? Como a/o docente pode atuar na tentativa de desconstruir estereótipos de gênero e preconceitos? Qual a importância do repertório de atividades para auxiliar nesse trabalho? Esta etapa da oficina será feita a partir de uma troca de experiências, vivências e questionamentos.

Na verdade nós pretendemos fazer menos exposição e mais diálogo, então vai ser muito participativo. Vem, gente!

Fico particularmente feliz por estar neste mini-curso com o Hugo porque, como sempre gosto de lembrar, foi ele que me fez começar a refletir sobre questões de gênero na prática educativa, durante as oficinas de musicalização onde atuamos juntos. Sim, a culpa é toda dele!!! :)

Até lá!


Concurso para professor substituto de Ed. Musical na UFSCar

Olá! Post para divulgar o concurso para professor substituto na UFSCar. As inscrições vão até dia 10 de fevereiro e a prova didática é no dia 21. Não é necessário pós-graduação, apenas graduação em Licenciatura em Música (ou Educação Artística com ênfase em Música).

LogoUFSCar

A subárea é Direções de Conjuntos Musicais; Canto Coral; Métodos, Técnicas e Fundamentos da Educação Musical, Educação Musical: Prática e Ensino, Fundamentos de Arte-Educação. O regime de trabalho é de 40 horas semanais e a remuneração básica (sem os bônus de mestrado e doutorado) é de R$ 3117,22.

Maiores detalhes podem ser vistos no edital do concurso aqui.

Até a próxima e boa sorte pra quem for prestar! :)


Flat: um editor online colaborativo de partituras

Oi! Hoje queria falar sobre o Flat, que não apenas é um editor online colaborativo (o que já é muito legal) como também é o editor de partituras com a interface mais bonita que já vi. Sério mesmo, olha como ele é bonito! Foi uma dica do Jimmy, obrigada Jimmy!

flat1

O link para o flat é este aqui. Na imagem acima dá pra ver as ferramentas de edição. A partitura fica salva no site mas também é possível exportar como pdf, xml, mp3, wav e mid. Você pode compartilhar a partitura para que outra pessoa mexa nela, ou seja, funciona como um google docs musical! (QUE IDEIA MARAVILHOSA)

flat2
escolha quem pode editar sua partitura

Ele também funciona como uma comunidade, onde você pode explorar e ver as partituras que as outras pessoas estão fazendo. É muito legal a possibilidade de descobrir o que compositores amadores do mundo inteiro estão criando! O único ponto negativo é que ele te obriga a deixar sua partitura pública, pois contas gratuitas podem ter apenas 1 partitura privada. Já que toquei no assunto, ele tem a possibilidade de pagar por uma conta mais “poderosa”, mas não tenho certeza se vale a pena. Os benefícios são um número ilimitado de partituras privadas, ter um histórico de modificações na partitura e uma versão offline do Flat.

flat3
partituras populares da semana

Depois vou mexer com mais calma lá e colocar as partituras das minhas maravilhosas (sarcasmo) composições das aulas de Harmonia, aí faço um post novo aqui :3

Até mais!