A suspensão do curso de licenciatura em Música na UNAERP

Olá. Este triste post é escrito com informações da querida Thais Padovani, formada na licenciatura em Música na UNAERP e atualmente fazendo bacharelado em canto na Unicamp. (que entrou em contato pra dizer que acompanhava meu blog, o que é sempre uma felicidade! ♥)

De acordo com a coordenação, o curso não foi extinto, está suspenso por causa da baixa procura pela licenciatura – o que é estranho, pois nos comentários do post da Thaís uma moça, a Cintia, diz que várias pessoas tentaram a bolsa do ProUni e não foram convocadas, então teve procura, sim. Talvez não grande o bastante para dar lucro? Esse é o problema de comercializar a educação…

O curso da UNAERP existe desde 1968 e foi avaliado em 2014 como o 2º melhor curso de licenciatura em Música do país!

Vou colocar agora as palavras precisas da Thais (você pode conferir o post dela clicando aqui):

“Esta é mais uma prova de que estamos caminhando para lugares cada vez mais tenebrosos, haja vista os retrocessos astronômicos na área da educação e das artes, desde a recente retirada da filosofia e sociologia do currículo obrigatório no ensino médio, a extinção do PIBID, o descaso e sucateamento dos cursos voltados para as artes e humanidades dentro das universidades, até os debates e especulações frequentes em torno da extinção dos cursos acadêmicos direcionados para as mesmas áreas. E o banimento do curso é mais um ataque frontal a tudo o que estamos tentando construir às duras penas, numa cidade abandonada, passando pelo desmonte da secretaria da cultura, sofrendo com a indiferença desmedida da prefeitura…e mais uma infinidade de problemas.

Como ex-aluna, musicista e educadora musical formada pela Unaerp, faço um apelo a todos os amigos, ex-alunos, estudantes do curso, corpo docente e artistas de Ribeirão Preto e região, para que nos mobilizemos em resposta à decisão da instituição. Não podemos simplesmente nos conformar.

Há uma proposta em andamento para que a área da Música seja mantida, porém com outra vertente (não imagino qual seja, mas ao meu ver, o ideal é que a licenciatura permaneça).”

O fato é que não há uma turma 2018 no curso de licenciatura e, dado o momento de sucateamento da educação no país e desvalorização constante das áreas de artes e humanas, isso é preocupante.

Vamos ficar atentas, torcer (e lutar!) pelo melhor.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *