Pandemia e pandemônio

Gente, que loucura que está o mundo. Acho que ninguém nunca imaginou que ia passar por uma pandemia, né? Olhando pelo lado positivo, com atividades presenciais canceladas estou tendo tempo para fazer algumas coisas que não conseguia: passar mais tempo com o Mateus, arrumar a casa, cozinhar mais, tocar piano, estudar francês, fazer tarefas pendentes há meses… Pelo lado negativo, obviamente tem os impactos na saúde mental, toda a treta com o EAD na Unicamp e não poder mais ver as pessoas.

Mês passado teve uma onda de compromissos cancelados e na sequência todos os compromissos se transformaram em reuniões online e eu não aguento mais isso. Entre os compromissos cancelados/adiados, três congressos onde eu apresentaria artigo. A FLADEM, em Foz do Iguaçu, o EEMU aqui na Unicamp e a ISME na Finlândia. É, eu não vou mais pra Finlândia. Olhando pelo lado positivo, não preciso mais me preocupar com conseguir dinheiro pra isso.

Estou tentando voltar a escrever, aí vamos ver se agora o blog finalmente retorna? Pelo menos pra ajudar a manter a sanidade também. Ontem pela primeira vez na quarentena consegui voltar a mexer na minha dissertação. Estou confiante de que vai dar certo. (mas hoje é um dia bom, amanhã não sei)

Enfim. Espero que estejam todas e todos bem e em casa na medida do possível! #ficaemcasa


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *