Creepypasta: “Alguém mais lembra dessa música pop de 2008?”

Oi! Hoje vou postar aqui uma creepypasta traduzida. Pra quem não é familiar com o termo, creepypastas são histórias de terror. Vem de copypasta, as histórias escritas nos chans/reddit/foruns e que eram copiadas e coladas por aí. Gosto muito de histórias de terror, aí sempre procuro creepypasta para ler. Tem alguns sites bons, em inglês: o nosleep (uma seção do reddit onde as pessoas postam e comentam as histórias como se fossem verdade), a wikia e o SCP. Mas tem que ficar caçando pra separar os bons dos ruins. Se alguém quiser depois recomendo algumas histórias.

Bom, no twitter sempre troco achados de creepypasta bom com os amigos que também curtem. Ontem a Maciel mandou este aqui no reddit, aí como tem a ver com música eu achei que seria legal traduzir! Segue então a minha tradução/adaptação do tópico “Does anyone else remember this pop song from around 2008?” originalmente escrita pelo usuário hartijay. Os parênteses em itálico são notas de tradução.

brokenmirror
eu quebrei um espelho quando era adolescente, este ano finalmente estou livre dos 7 anos de azar

Mais alguém lembra essa música pop que tocava em 2008?

Eu trabalhava na estação de rádio do meu campus na universidade. Nós conversávamos sobre os eventos acontecendo na faculdade, qualquer notícia da cidade e tocávamos as músicas pedidas pelos alunos, algo que nossa universidade surpreendentemente deixava. Lembro de alguns meses muito estranhos em que os alunos que ligavam no programa pediam constantemente uma música chamada “See you after, babe” (vejo você depois, querida), uma música pop de um “grupo-de-uma-música-só” chamada Symmetry Icon (Ícone de Simetria), o nome de banda mais idiota que já ouvi. Mas essa música estava bombando entre outubro e novembro de 2008. Como eu era um dos DJs da rádio do campus, tinha que tocar aquela música umas cem vezes em dois meses. Eu a ouvia em todo lugar, em shoppings, postos de gasolina, em estações de rádio de verdade e acho que até na MTV.

Tinha alguma coisa estranha naquela música, mas não consigo lembrar exatamente o quê. Tentei jogar no google a música e a banda, mas nada apareceu nos resultados. Nem mesmo o YouTube tinha um clip da música.

Eu frequento um grupo no Facebook para alunos da universidade, e postei uma questão lá perguntando se alguém lembrava da música. O post recebeu um punhado de likes e um monte de gente começou a falar sobre coisas que lembravam do misterioso sucesso do Symmetry Icon. Uma menina escreveu que não conseguia lembrar como era, mas que a letra era meio esquisita e não convencional. Outro colega de classe disse que a música era tão pegajosa que ficou na sua cabeça por semanas.

Uma semana se passou desde que postei no grupo dos alunos e então recebi uma mensagem de um cara que morava no dormitório ao lado do meu, chamado Matt. Matt me enviou uma mensagem privada perguntando se eu tinha encontrado alguma pista sobre a música. Eu disse que não. Ele me disse que não tinha nada além de memórias ruins com aquela música. Aqui está a mensagem dele transcrita (NOTA: Paul era seu colega de quarto):

“é cara eu não escuto essa música desde aquele ano… eu lembro que paul sempre colocava no volume máximo no quarto. eu não consigo lembrar como era, mas lembro que era meio diferente e não era uma música pop típica, mas todo mundo amava. eu não conseguia aguentar. mas Paul REALMENTE amava a música, ele tava sempre cantarolando. E um dia eu nunca mais escutei aquela música de novo e Paul tava agindo muito estranho. Ele tava sempre em festas e se divertindo e o caralho a quatro mas naquela época ele ficou super deprimido. Um dia eu perguntei o que tava acontecendo e ele disse que não conseguia tirar aquela música da cabeça e ela tinha sumido pra sempre e agora ele nunca mais ia conseguir ouvi-la de novo. Sl se você sabe cara, mas Paulo ainda não tá muito bem, ele não tem emprego, não tem mulher, raramente conversa com alguém… Eu mando mensagem pra ele de vez em quando e ele só diz o quanto ele sente falta de 2008 quando a vida era boa. Eu falei pra ele ir num psicólogo, mas ele diz que isso não vai ajudar, ele só precisa de “alguma coisa nova pra ouvir”. Ele está naquele grupo de alunos e eu sei que ele viu seu post, e eu tô preocupado que ele vai surtar cara. Você pode falar com ele?”

Mandei uma mensagem pro Paul logo depois, perguntando como ele estava.

Eu: “ei paul! Há quanto tempo cara. Como você tá?”

Paul: “SAL!!!!! Oooopa! Bom falar com você”

Eu: “como estão as coisas mano?”

Paul: “Tô legal, tô na caminhada como sempre.”

Eu: “isso é bom!”

Paul: “Eu vi o que você postou lá [no grupo de alunos]. Cara… aquela música era minha vida. Eu sinto tanta falta dela, não consigo acreditar que ela se foi.”

Eu: “Bom, tenho certeza que alguém vai conseguir encontrar!”

Paul: “Nem, cara… ela se foi. É assim que o mundo é, as coisas vêm e vão. O SI fez uma música que estava viva e agora ela está morta. Cara eu sinto saudades. Aqueles dias foram demais!”

Eu: “? Ahm…”

Paul: “Eu sei que estou agindo estranho, o Matt sempre fala que preciso procurar ajuda mas não preciso. Só preciso ouvir a música de novo e é uma merda saber que nunca vou.”

Assustado, parei de falar sobre a música depois daquilo e só fiquei falando de outras coisas com ele até nós dois sairmos da internet. Na próxima tarde, nem mesmo 24 horas depois, cheguei em casa do trabalho e vi pessoas postando no mural do Paul no Facebook “R.I.P.” (Rest in peace – descanse em paz) e todo o tipo de condolências; Paul se matou naquele dia. Fiquei horrorizado ao ouvir que ele fez isso se apunhalando no rosto várias vezes.

E a ideia que eu fui uma das últimas pessoas com quem ele falou me fez sentir ainda pior.

Matt me mandou uma mensagem naquele dia também: “Foi por causa daquela música… Sinto muito, Sal. Não é sua culpa.”

Enquanto eu penso agora que não seria de bom gosto fazer isso, naquele momento eu pensei que seria uma ótima ideia encontrar “See you after, babe” de alguma forma e postar no mural do Paul. Só pra algum tipo de conclusão. Passei a semana seguinte inteira perguntando no Yahoo Respostas, postando em foruns de música e comentando em vídeos de músicas pop de 2008 no YouTube. Ninguém sabia nada sobre a música ou a banda. Eu coloquei meu email em alguns desses lugares, mas não tive nenhuma resposta até a noite passada, 27 de dezembro.

Na minha caixa de entrada estava uma mensagem de alguém chamado “Brad Hoskins”. O assunto era “Música do Symmetry Icon”. Anexado ao email estava um arquivo .mp3 e no corpo da mensagem estava isto:

Ei Sal,

Eu vi o seu post no [forum] perguntando sobre a música do Symmetry Icon, “See you after, babe” e pensei em te mandar este email para esclarecer as coisas e talvez te dissuadir da sua busca. Estou te enviando isto na esperança de que você vai manter as coisas discretas, já que não tem muita gente que sabe alguma coisa sobre esta música e se a natureza dela for espalhada, não vai ser exatamente difícil para algum superior apontar quem deu com a língua nos dentes. Mas você parece um cara legal e não quero que você faça algo de que vai se arrepender.

Symmetry Icon era um jovem grupo pop com três membros que começou em 2007 e veio com um álbum lá pra 2008. Difícil de acreditar que 2008 foi quase uma década atrás, mas obviamente você sabe como um monte de músicas pop eram naquele ano: eram pegajosas, não muito técnicas, animadas mas não muito “club” ainda. Uns synths e sons meio bregas. Veja o Top 100 daquele ano na Billboard, você vai ver o que quero dizer.

Bom, de qualquer forma, eu trabalhava meio tempo como engenheiro de som para um pequeno selo de gravação que estava tentando descobrir um grande sucesso. Eles pensaram que encontraram isso no Symmetry Icon, porque o grupo era muito talentoso, principalmente por ser tão jovem (todos os três tinham idades entre 19-21). Era louco como eles tinham apenas começado a tocar com seus instrumentos e apareciam com um som mais cativante que qualquer coisa que o selo já tinha produzido.

Enquanto Symmetry Icon tinha assinado com nosso selo, o produtor deles era um contratado de fora que veio junto com a banda como se fosse um pacote. Esse cara era a definição de esquisito, ele parecia um homem de negócios gosmento estereotipado. Mas ele era muito próximo à banda e eles não o deixavam não importa as ofertas que o selo balançasse na frente deles. Em cada sessão de gravação e em cada reunião aquele produtor esquisito estava bem ali, sussurrando nas orelhas da banda. Parecia que por trás de cada música e cada decisão estava aquele cara medonho. A banda se sentia até confortável pra nos dizer que na maior parte o produtor tinha as ideias para as suas músicas.

Então, um dia, a banda perde a sessão de gravação porque a namorada do cantor sofreu um acidente de carro que destruiu seu rosto. Eu já tinha visto a menina antes, ela era absolutamente linda, mas depois do acidente ela ficou parecendo um monstro. Sem olho direito, boca destruida, uma testa afundada. Era horrível e ela sabia disso também, então infelizmente ela acabou se matando, embora eu não saiba exatamente como. Nós ficamos todos arrasados com isso no estúdio.

O cantor da banda, Andrew, ficou devastado. Nós falamos para ele dar um tempo pra qualquer novo material, mas na próxima sessão nós o vimos chegar com uma nova música que a banda tinha escrito por conta própria. Eles deram o bolo no produtor medonho. Quando perguntamos onde ele estava, Andrew apenas disse, “Ele pode se foder”.

Bom, a música que eles trouxeram era “See you after, babe”, algo que Andrew escreveu sobre sua namorada ficar desfigurada. Era cativante e animada, mas não parecia nada que a banda tinha gravado conosco. Eles nos deram a letra e fomos tomados de surpresa por quão estranha ela era. Eu venho guardando uma cópia dela por anos:

[Verso 1]

Eu só queria ser um grande nome

Pra você

Mas eu fui pego por essa loucura

Sem você.

Nós fizemos um acordo com ele,

Ele disse que iria nos levantar

Em troca de algo pequeno.

[Refrão]

Mas ele tirou sua… (x3)

[Verso 2]

No começo eram só coisas pequenas.

E então chegou nisso.

Eu não achei que ele fosse tirar

Algo que eu fosse mesmo sentir falta.

[Refrão]

[Ponte]

Não foi um acidente.

Eu sinto muito.

Eu vou te ver depois, querida.

[Refrão]

Coisa deprimente, né? No estúdio achamos isso também. Além disso, o refrão eram quatro palavras e uma frase incompleta que terminava em um riff de quatro notas, então nós todos duvidamos do seu potencial.

Ela foi para um pequeno número de estações de rádio, que tocaram como fariam com qualquer outro single. Depois de uma semana, DJs pediram para entrevistar a banda, mas o Symmetry Icon não queria nada com a imprensa.

Um dia durante outra seção, o produtor medonho entrou no nosso estúdio e começou a gritar com o Andrew e a banda por terem lançado a música sem sua aprovação. Andrew começou a gritar de volta sobre como ele não queria nada disso, como ele só queria tocar música e não ser puxado em algo tão sério. O produtor estava surtando, dizendo que a banda não seria nada sem ele e como tinha sido Andrew a fazer o acordo em primeiro lugar. Eu especificamente lembro Andrew falando “Era pra ser só sangue nosso, não de ninguém mais!”.

O produtor saiu ventando do estúdio, falando sobre como ele ia arruinar a música e a banda por causa daquilo. Disse que ele ia fazer qualquer um que gostasse da música “terminar como a namorada dele [Andrew]”. Nós nunca mais vimos aquele cara de novo.

Depois daquela briga, a merda mais sinistra que eu já vi na indústria aconteceu com relação àquela música. As pessoas estavam realmente ficando viciadas nela. Tivemos até grandes companhias tentando comprar os direitos para ter aquela música nos seus comerciais. Por um mês, ouvimos no rádio o tempo todo. Mas de repente começamos a receber ligações de estações de rádio falando que seus ouvintes estavam agindo estranho com aquela música, que era a única coisa que eles pediam e que eles ligavam constantemente para ouvir. O DJ de uma estação ficava nos ligando todo dia para encontrar a banda para falar sobre a música “que mudava vidas”. Ele até deixou mensagens de voz GRITANDO conosco para encontrar a banda.

Isso começou a assustar nossos superiores no selo. As pessoas estavam recebendo ligações, ameaças de morte e todo o tipo de merda horrível só pra ouvir uma música pop estúpida. Era como se fosse uma droga. Symmetry Icon sumiu da face da terra, eles não respondias nossas chamadas nem nada.

Logo o selo e o estúdio foram visitados por esses figurões do governo que queriam ver se tudo estava ok com nosso operação. Nosso CFO (Chief Executive Officer – diretor financeiro) foi entrevistado sobre a natureza da música e disseram a ele que algo estranho estava acontecendo com quem era exposto a ela por muito tempo. Eu nunca soube exatamente o que disseram para o CFO, mas o rumor era que as pessoas estavam se matando porque não conseguiam tirar a música da cabeça. Ela afetava algumas pessoas mais do que outras, mas aqueles que se mataram fizeram isso de um jeito muito específico que assustou o selo e eles tiraram a música.

Com a ajuda dos caras do governo, o selo tirou “See you after, babe” do ar e removeu qualquer traço da sua existência. Os empregados nunca souberam exatamente o porquê, mas por um bom tempo de 2008 nós ouvimos histórias de agentes indo em estações de rádio e impedindo DJs de tocaram a música, até prendendo aqueles que insistiam. Como se isso não fosse perturbador o bastante, nós ouvimos depois que todos os três membros do Symmetry Icon se mataram não muito tempo depois que a música foi tirada do ar. Aparentemente eles cortaram os próprios rostos com pedaços de vidro e sangraram até a morte. Eles deixaram uma nota dizendo que nunca seriam capazes de superar “See you after, babe” e que não havia sentido em tentar. Eles eram assombrados pela música e usaram o vidro para tentar “tirá-la”.

Não tenho certeza se você acredita no sobrenatural, mas estou te dizendo agora mesmo que existe uma razão obscura pela qual você não consegue encontrar aquela música em lugar nenhum. É um vudu maligno, ela faz as pessoas fazerem umas coisas muito fodidas consigo mesmas. Eu sei que você quer fazer isso pelo seu amigo, e sinto muito pela sua perda, mas acredite em mim quando digo que você nunca vai encontrar a música completa. Aquela merda está enterrada.

Por muito tempo, fomos avisados para imediatamente contar para a companhia se a música fosse tocada em qualquer lugar. Eu a ouvi em um provador num shopping uma vez quando estava fazendo compra, lá pelo meio de 2010. Na hora eu gravei no meu celular para mostrar para os meus chefes, mas meio que nunca fiz isso. O assunto não tinha sido discutido por mais de dois anos e eu nunca a ouvi de novo depois disso. Eu gosto de ouvi-la de vez em quando e pensar nas coisas que aconteceram por causa dela.

Minha gravação está anexada ao email. Desculpas antecipadas pela minha tosse ali. Teria sido legal ouvir a coisa toda mas eu honestamente estava com muito medo para continuar ali e escutar.

Só escute algumas vezes e então nunca mais abra o arquivo. O que quer que aconteça com essa música, ela começa quando você escuta repetidamente. Por favor, tenha cuidado.

E se você algum dia ouvir a música inteira em público, saia imediatamente de onde quer que você esteja ouvindo. Como disse, não sei no que você acredita, mas eu por exemplo tenho certeza que o Symmetry Icon fez algum tipo de acordo com o demônio e essa música é a punição por quebrar aquele acordo. Por favor, tenha cuidado.

Boa sorte,

– Brad Hoskins

Eu baixei a música e ouvi imediatamente. Reconheci a música no segundo em que a ouvi. Não tenho ideia se Hoskins está me falando a verdade, então coloquei o clip no YouTube e enviei para alguns amigos para ver se eles reconheciam. Todos concordam que essa era a música, incluindo Matt.

Não sei o que concluir disso. Quer dizer, é meio pegajosa de certa forma e eu escutei algumas vezes só porque ela meio que é boa e me lembra os dias na universidade.

Alguém mais lembra da “See you after, babe” de 2008???

Eu só… Eu preciso ouvir a música inteira de novo, e é uma merda saber que nunca vou.

=================

Segue aí a música que estava anexada no fim do post: clique aqui para ouvir… por sua própria conta e risco. Não ouça demais, hein? Na verdade nem tem como, tá muito baixo e é super curto, além de ter a tosse chata. MAAAAS comentários do reddit depois alguém postou isto aqui, que é uma versão completa da melodia. Pô, estou super esperando alguém gravar o vocal… =p

O que vocês acharam? Legal? Não é assim WOW FANTÁSTICA, mas eu gostei. Só que o hartijay é bem babaca por postar a música no youtube, espalhar pras pessoas e ainda colar todo o conteúdo do email depois do cara pedir pra ele ser discreto. =p Vocês repararam que ele termina dizendo exatamente as mesmas palavras do Paul? Pois é…

IMPORTANTE!! Quem sabe um pouco de teoria musical e acordes provavelmente deve ter imaginado que o riff do refrão é F-A-C-E… “Mas ele tirou sua… F-A-C-E”. Boa sacada, não? Mas é bem comum os americanos usarem F-A-C-E como mnemônico pro fa-la-do-mi, que são inclusive os espaços no pentagrama em clave de sol. Mais fácil ver este vídeo pra entender o que quero dizer.

Bom, de acordo com o Gald eu já fui amaldiçoada porque estou ouvindo a música até agora e estou até traduzindo a história…

Pensando bem… minha foto do espelho quebrado é de 2008!!!! QUE CREEPY :O

Músicas que fazem as pessoas se matarem é um tema até popular nas histórias de terror. Já escrevi/traduzi outros posts sobre isso. Por exemplo: As frequências perdidas de Lavender Town’s Theme e Gloomy Sunday, a música do suicídio. Quem sabe um dia eu mesma não tente escrever um conto de terror? Hehehehe.

E assim termina o Nocmoon Terror de hoje! Bons sonhos…

Posts relacionados:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *