12 brincadeiras para os dias das crianças

Ois! O dia das crianças tá chegando, então resolvi colocar aqui uma lista de 12 brincadeiras que serve não só para esse dia, já que todo dia é dia de brincar, né? É uma lista que serve pra brincar na escola, em casa com a família etc! Além disso, nas descrições eu falo onde vi a brincadeira, então dá pra pegar ideias de livros, sites e oficineiros. :)

criancas

Seksdagesløb: Essa é uma brincadeira da Dinamarca, retirada do livro Jogos de todas as cores. É assim: coloque as crianças em roda e numere-as de 1 a 4, repetindo os números em seguida. Exemplo: se tiver 8 crianças, vai ficar 1, 2, 3, 4, 1, 2, 3, 4. Quem estiver comandando vai chamar um número de cada vez. Se chamar o número 1, as crianças que receberam esse número sairão da roda e correrão em volta dela, no mesmo sentido, tentando alcançar quem estiver na sua frente. O primeiro a ser alcançado sai do jogo. Isso se repete até que reste apenas quatro crianças, uma de cada número, e esses são os vencedores.

Ameba: Essa é uma brincadeira com bola que as crianças da escola de música me ensinaram. Quem está com a bola dá três passos falando a-me-ba e então tenta acertar uma pessoa que está em pé. Se a pessoa for queimada, senta e passa a bola para alguém (passa, não queima). Quando alguém senta, todas as pessoas que ela tinha queimado podem se levantar. É um pouco confuso pra entender no começo e precisa prestar atenção para lembrar quem te queimou. Como as pessoas levantam, tem essa rotatividade e o jogo pode nunca ter fim, mas eventualmente alguém queima todo mundo. (ou alguém esquece de levantar na hora certa)

Maré encheu: Faz-se uma roda e alguém fica no centro. Acontece o diálogo:
Pessoa no centro – Maré encheu
Roda – Chó
– Maré vazou
– Chó
– Bateu numa pedra
– Chó
– Navio afundou
– Chó
– Salvou a vida de X
Onde X é um número. Aí a roda se desfaz e as pessoas se reunem em grupos de X. Quem sobrar, vai para o centro. A brrincadeira continua até que o número de pessoas no centro é tão maior que a da roda que não é mais possível fechar a roda em volta delas. Aprendi essa brincadeira com a professora Lucilene, e certamente deve estar no excelente livro dela, Eu vi as três meninas.

Bambu: É uma brincadeira cantada em roda: “Bambu, tirabu, aroeira mantegueira, tirará Fulana para ser bambu”. Ouça aqui a melodia. Uma pessoa começa no centro e chama alguém, que vai para o centro também e aí repete-se a melodia. A ideia é que o último a ser chamado chame o próximo. Eu gosto de usar como canção de acolhimento para começar a aula. Quando tem muitas crianças, pra não ficar muito enjoativo a gente chama duas de cada vez. Fiz alguns bambus de EVA e entrego para cada criança chamada, dá para bater os bambus na mão no ritmo da música. (Claro que alguns brincam de espada) Com turmas de crianças muito pequenas, de 2 anos, eu falo todos os nomes. As crianças sempre ficam felizes quando ouvem seu nome. :) Curiosidade: Aroeira é uma árvore, sabiam? Eu perguntei em uma turma de 6 anos se alguém sabia o que é e um menino respondeu certo, aí eu fiquei surpresa porque eu não sabia até pesquisar. Mas a turma dele insiste em cantar “tá de zoeira” no lugar de aroeira. Acontece.

Son macaron: Aprendi com a professora Adriana nas aulas de pedagogia musical. É uma brincadeira de mão em roda, tipo adoleta, mas com uma letra bem diferente: “son macaron son ferion, marion marion, leah leah tip tip tip, leah leah tap tap tap, one bit, two bit, three bit, catch”. Quando chegar no catch, a criança tem que tirar a mão para não ser pega. Tem um post mais detalhado e com a partitura aqui mesmo.

Múmia: Outra brincadeira de bola, encontramos no site Mapa do Brincar. Em roda, as crianças passam a bola umas para as outras. Se alguém deixa cair uma vez, fica doente. Na segunda vez que deixar cair, morre. Na terceira vez, vira múmia. As múmias vão para o meio da roda e têm que tentar interceptar a bola. Se conseguiram, podem tentar queimar alguém e se acertar, é como se a pessoa acertada tivesse deixado a bola cair. Por exemplo, se uma pessoa que estava doente foi acertada por uma múmia, ela morre.

Caranguejo atrevido: Esse é pras crianças que adoram fazer ponte! Sabe, quando você fica de barriga pra cima e ergue o corpo apoiado nos braços e pernas. Eu sou muito ruim fazendo isso e sempre lembro da menina do exorcista. D: Mas enfim. É uma brincadera de duplas dentro de um espaço delimitado, que pode ser um quadrado, por exemplo. Uma das crianças é o caranguejo, que vai fazer a tal da ponte e tentar acertar com o pé a outra criança, que é o pescador. O pescador deve tentar fugir, mas sem sair do espaço marcado. Cada vez que o caranguejo acerta, marca um ponto. Depois de um determinado tempo, a dupla inverte as posições. Ganha quem marcou mais pontos. Vi essa brincadeira também no livro Jogos de todas as cores.

Chocolate: É uma brincadeira de mão em que as crianças batem as mãos separando a palavra da seguinte forma: chocochoco lala, chocochoco tete, choco la, choco te, choco la te. No choco, bate-se as mãos fechadas em punho. No la, as costas da mão. No te, as palmas normal. Depois que as crianças aprenderem, pode-se pedir para elas sugerirem outras palavras de quatro sílabas. Aprendi essa brincadeira numa oficina com o Estêvão Marques.

Limão: Outra brincadeira que aprendi com a Lucilene. Passa-se em roda uma bolinha, o limão, enquanto a música é cantada: “Chora, Manuel, não chora, chora porque não tem seu limão. O limão não está aqui, tolerão, ele já tá cá, tolerão”. Cada vez que terminar o canto, ele é recomeçado mais rápido. A bolinha tem que ser passada no ritmo, ficando cada vez mais rápido também. Quem deixar cair sai da brincadeira.

Fome Come: A mais conhecida brincadeira de copos! Não dá pra explicar em palavras, tem que ser fazendo. =p Então vejam o vídeo. Só dou uma dica para a parte cabulosa da viradinha: o segredo é virar a mão com o polegar pra baixo (como se estivesse fazendo um sinal de negativo) e pegar o copo com a mão virada pra baixo. Aí você faz boca do copo na mão esquerda, fundo do copo no chão, vira a mão, fundo do copo na mão esquerda, segura o copo com a mão esquerda, coloca a mão direita no chão e bate o copo cruzando a mão esquerda. #tutorial

Jogo de atenção: Aprendi num dos cursos internacionais Orff Schulwerk. É um jogo em roda. Uma pessoa começa levantando os braços pra cima e falando HA. As pessoas que estão do lado dela esticam os braços apontados para ela, falando HE. A pessoa que falou HA então aponta os braços para alguma pessoa da roda, falando HO. A pessoa apontada levanta os braços e fala HA, recomeçando. Ou seja: HA = levanta os braços. HE = as pessoas do lado de quem falou HA apontam para ela. HO = passa para outra pessoa. É um jogo de atenção, então tem que ser muito rápido. Quem errar, falando alguma coisa errada, esquecendo de apontar ou esquecendo o que tem que fazer, sai da roda.

Tum pá: Jogo tradicional do Barbatuques, aprendi numa oficina com o Barba. É um jogo de roda. A ideia é passar uma flecha (palma) falando pá: uma pessoa começa falando pá e batendo a palma na direção de outra pessoa. A pessoa que recebeu a palma então passa para outra. O passo seguinte é bater o pé falando tum antes de passar a palma: fica então tum pá. O nível mais difícil é inverter o pé e a palma: quem receber tum pá tem que passar pá tum e vice-versa. Fica assim então:
primeira pessoa: tum (pé) pá (palma)
segunda pessoa: pá (palma) tum (pé)
terceira pessoa: tum (pé) pá (palma)
quarta pessoa: pá (palma) tum (pé)
e assim por diante. Dá pra variar a velocidade e a intensidade: por exemplo, mais lento fica tuuuuum pá, pááááá tum. Acaba ficando muito sonoro depois que todos pegam o jeito.

Espero que vocês tenham gostado e até a próxima! Divirtam-se!! :)

Posts relacionados:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *