Livro: O colecionador de sons

Oi! Vou falar um pouquinho sobre um livro que li recentemente, O colecionador de sons. Comprei em uma promoção na Cultura e não sabia muito bem o que esperar. Muitas vezes compro ou pego livros na biblioteca sem conhecê-los, gosto de surpresas. =p

IMG_20150716_235450763

E, de fato, esse livro foi uma surpresa.

O livro começa com a confissão de um sacerdote que encontrou o livro de memórias do famoso tenor Ludwig Schmitt depois de pegar para ler o livro proibido das memórias [eróticas] de uma soprano desconhecida. Após essa introdução do sacerdote, somos levados ao livro de Ludwig.

O tenor nasceu com um dom muito singular. Ele era capaz de reconhecer cada som. Não falo de ouvido absoluto ou de conseguir distinguir melodias, ele conseguia perceber as singularidades de cada som em um nível espantoso: só de ouvir um sino, por exemplo, ele era capaz de perceber de qual material o mesmo era feito. Claro que quando era criança ele não conseguia compreender esse dom e muitos acharam que ele era louco ou endemoniado. Seu pai logo o proibiu de falar a respeito dos sons. Ludwig percebeu que tinha um som faltando em sua existência e a busca por esse som quase o enlouqueceu. Num desses momentos de loucura, ele descobriu que conseguia colocar os sons para fora. Ele era capaz de cantar.

Seu pai o colocou para ter aulas de canto, então, mas ele espantou o professor e foi enviado para uma academia de música que formava os melhores cantores. Achei essa parte do livro que fala sobre as aulas muito interessante! Acho que gosto de livros sobre escolas, hehe.

Num fatídico dia Ludwig descobre qual era o som que faltava. Era o som do amor. E aí o livro começa a ficar estranho.

Não consigo falar muito sem dar spoiler, mas é estranho mesmo. O livro fala muito sobre os, hum, fluidos corpóreos do Ludwig de um jeito algumas partes são simplesmente nojentas. Eu não sou puritana nem nada, mas podia ser menos. Se você superar essa parte esquisita, o livro é interessante. O dom, ou melhor, a condição do Ludwig tem a ver com a lenda de Tristão e Isolda, o livro fala sobre óperas e chega no compositor Wagner. O desfecho dele é bom. Mas continua sendo estranho. =p

Leitura recomendada, talvez. Por curiosidade.

(Vou me desapegar de alguns livros em breve e provavelmente este será incluso na lista, então se você tiver interesse, mande mensagem)

Detalhes do livro no skoob.

Até a próxima!

Posts relacionados:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *