Balé: La fille mal gardée

Oi! Este é um dos posts atrasados por causa dos eventos da última semana. Eu e a Miriam fomos assistir a mais uma transmissão da Royal Opera House no Cinemark: o balé La Fille Mal Gardée, com coreografia de Frederick Ashton.

Mais uma vez não tivemos os “extras” do cinema, que consistem em cenas dos bastidores e uma explicaçãozinha do enredo. Estou sentindo falta disso! Por que será que algumas produções têm e outras não?

Então, estávamos totalmente “no escuro” porque não conhecíamos a história, nem ao menos sabíamos o que o título quer dizer. Depois de consultar a wikipedia no intervalo, descobrimos que La Fille Mal Gardée significa, literalmente, A filha mal guardada. No sentido de “filha desobediente”.

Mas não tivemos dificuldade pra entender o que estava acontecendo no balé, já que a história não é “mística” (como nos outros balés que já vi) e é bem simples. Não que isso seja um defeito, de jeito nenhum! A graça está justamente nessa simplicidade!

A personagem principal é a tal da filha desobediente, Lise. (como não tinha explicação da história nem folheto, descobri o nome dela só agora) Sua mãe deseja que ela se case com um jovem rico para ter um futuro garantido, mas Fulana está apaixonada por Colas, um vizinho (acho). A mãe tenta impedir de todas as formas que os dois se encontrem, mas é claro que a menina sempre dá um jeito de burlar a vigilância dela. O pretendente rico, Alain, é tão desajeitado e fofinho que dá até pena pela Fulana gostar do Fulano! As cenas dele são algumas das mais divertidas.

Lógico que no fim a mãe acaba aceitando o amor dos dois pombinhos e descombinando o casamento arranjado. Aí é só festa! E é isso que marca este balé: ele é simples e feliz, sem dramas.

Os cenários são um detalhe à parte. Eles dão um clima quase infantil, tudo parece um desenho, uma casinha de bonecas! Às vezes era até difícil distinguir o que estava desenhado e o que era de verdade. Já no começo dá pra sentir o clima alegre com a primeira dança: a das galinhas! Sim, bailarinos vestidos de galinhas! Muito bonitinho! :3

Outra coisa linda demais são as várias danças com fitas. Imagina só a coordenação necessária pra isso sair direito?!

Enfim… Recomendo muitíssimo ver esse balé se tiverem a chance! Uma coisa legal é que agora eu e a Miriam estamos começando a reconhecer os bailarinos da Royal Opera, heheh! Mês que vem tem a última apresentação da temporada 2012/2013, a ópera Nabuco! Vejo vocês lá :)

Posts relacionados:


2 Responses to Balé: La fille mal gardée

  1. nha que eu entendi este balé é bem mais bonitinho, chega até a ser uma comédia romântica. Interessante notas que a companhia tenta agradar a todos, desde os que curtem um super drama com o "Lago dos Cinsnes" a uma produção bem levinha como essa.

    Fiquei curiosa para ver…ee… O que será que vem por aí no próximo ano?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *