Serei docente?

Oi! Queria já ter escrito este post na semana passada, mas peguei uma gripe tão terrível que fiquei sem vontade de fazer absolutamente nada, nem postar aqui. Só estudei pras provas por necessidade.

Enfim. Este post é um texto reflexivo que foi a primeira atividade de Psicologia da Educação. É para explicar por que queremos ser professores, se é que queremos. Contei os caminhos da vida que me levaram a ser professora de música. A professora escreveu no meu texto “que lindo!” e “legal seu texto”. A Jac sugeriu compartilhar aqui :3

Serei docente?

Aula!
já sou?

Quando tinha 17 anos, em 2006, fiz minha primeira aula de piano. Naquele mesmo dia, descobri uma paixão ao primeiro toque e tive a certeza de que queria trabalhar com música. Mas as certezas adolescentes são incertas… Eu cursava técnico em informática, e até gostava de programação.

No ano seguinte, fiz estágio, pois era requisito para ter o diploma do técnico. Certo dia, ouvi alguém dizer que para escolhermos nossa profissão devemos pensar em uma pessoa que nos inspira, pensar “eu gostaria de ser igual a quem?”. E nesse momento quem imediatamente veio à minha mente foi meu professor de piano, sempre tão dedicado escolhendo as peças para os alunos, organizando o coral da escola e se apresentando em concertos.

Por isso, resolvi fazer o curso de bacharelado em piano. Mas havia um problema: a prova de aptidão exige um nível de estudo que eu não tinha, pois comecei a estudar “tarde”. Então, por pressão familiar, comecei o curso de Ciência da Computação.

Estava insatisfeita, pois não gostaria de seguir nessa área. Um dia conversei com meu professor e ele me sugeriu prestar o curso de licenciatura, pois a prova de aptidão exige menos nível técnico no instrumento. Então resolvi fazer licenciatura apenas porque era mais fácil, e posteriormente mudar para o bacharelado.

Entretanto, ao ler os livros recomendados para o curso de licenciatura, sobre educação musical, descobri uma nova paixão: um mundo que até então desconhecia. Por isso, quando prestei a prova prática, já tinha desistido de mudar para o bacharelado. Meu objetivo hoje é ser professora. Sempre gostei de ajudar meus amigos que tinham dificuldades com as matérias que sabia, mas nunca tinha considerado a possibilidade de ser professora porque enfrentar uma sala de aula me assustava. E ainda assusta!

Essa é a história de como ingressei no curso de Licenciatura em Música da Unicamp em 2012, que é apenas a introdução da minha história como educadora musical. Se os livros me fizeram descobrir um mundo desconhecido, o curso me deu a chance de mergulhar de cabeça nesse mundo. As oportunidades são muitas! A partir deste semestre faço parte do PIBID (Programa de Incentivo de Bolsas de Iniciação à Docência) no escola estadual José Vilagelin Neto e também do projeto de extensão dos alunos de música que consiste em dar aulas de musicalização gratuitas para crianças de 7 a 10 anos no próprio Instituto de Artes. Além disso, no semestre passado também dei aula em uma escola de educação infantil, Espaço Criança. E já faz alguns anos que dou aulas particulares de piano.

Como já disse, o que me dá mais receio é dar aula para turmas grandes de alunos, pois é mais difícil “controlar” tantos alunos juntos e manter todos interessados nas atividades propostas. A falta de atenção e bagunça são fatores que me preocupam muito, acho que precisarei aprender a me impor, pois sempre fui tímida e introvertida.

Para melhorar minhas habilidades e me dar mais ideias para planejar as aulas, participo de todos os encontros de educação musical e oficinas possíveis. O Encontro de Educação Musical da Unicamp, por exemplo, foi incrível. Mas penso que muita coisa só será aprendida na prática, por isso as disciplinas que exigem participação ou observação são tão importantes em um curso de licenciatura. Só é possível aprender realmente como realmente funciona uma escola estando na escola.

Ainda não consegui me decidir em quais níveis de ensino pretendo atuar. São tantas possibilidades! Gosto de dar aula de instrumento, mas também gosto muito de dar aulas de musicalização. Além de atuar em escolas, também pretendo seguir carreira acadêmica e fazer pesquisas, mestrado, talvez doutorado… Gostaria muito de um dia retornar à Unicamp como professora!

Não conheço praticamente nada de psicologia educacional. Na disciplina Fundamentos Filosóficos da Arte-Educação, aprendemos um pouco sobre Piaget, mas não estudei a fundo. Espero conhecer o trabalho de psicólogos nesta disciplina, e que isso ajude na minha formação. Valorizo a prática, mas também reconheço a importância da teoria; outra de minhas paixões é a leitura.

Posts relacionados:


2 Responses to Serei docente?

  1. Que lindo! Mas tempo é uma coisa complicada quando se fala em arte e coisas que exigem técnica, habilidade, aptidão. Todo mundo fala que vc começou trde, que será difícil mas poxa, temos que começar em algum momento não é mesmo? E praticarmos muito para seguirmos nossos sonhos.
    Que tudo dê muito certo em sua carreira acadêmica!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *