Feliz dia nacional da música clássica! (+ reflexão)

Hoje, 05 de março, é o dia nacional da música clássica! A data não é por acaso. No dia 05 de março de 1887 nasceu Heitor Villa-Lobos, um dos nossos maiores compositores.


Homenagem do Google ao Villa-Lobos ❤

O post de hoje é uma reflexão. Em 2010 fiz uma seleção com algumas músicas, caso você queira escutar.

Villa-Lobos é um dos meus compositores preferidos. Sou 100% sincera quando digo que ele está depois de Bach, junto com Beethoven, Chopin e Tchaikovsky na minha preferência. (eu não gosto muito de Mozart, desculpa) A peça que escolhi para tocar na prova de vestibular foi uma ciranda dele, o Passa, Passa, Gavião. Além dessa, toco várias cirandinhas. Sou apaixonada pelas nossas cantigas de roda e cirandinhas; toca-las no piano é algo que me enche de alegria e nostalgia. ♡

As cirandas inclusive são um exemplo do nacionalismo de Villa-Lobos, que valorizava nossas cantigas folclóricas. Além de compositor, também foi um educador musical que levou o projeto Canto Orfeônico às escolas. Pelo que li, acredito que tenha sido um grande projeto e é uma pena que tenha entrado em decadência com o fim da era Vargas. Muitos acreditam que Villa-Lobos tinha motivações políticas. Mas isso é assunto para um post à parte.

Aí vem o que me deixa triste… O fato de muitas pessoas não reconhecerem Villa-Lobos como música erudita. Já aconteceu de eu dizer que ia tocar uma ciranda dele e a pessoa me responder “Ah, não conheço… só toco música erudita.” Meu professor também já me falou sobre pianistas formados que se recusam a tocar Ernesto Nazareth porque “é música de bar”. Gente, como assim???

Falando em Ernesto Nazareth, uma curiosidade… A música Odeon (conhecida por ter tocado na novela O Cravo e a Rosa) é classificada como “tango brasileiro”. Mas essa peça não é um tango, é um maxixe. Por que Nazareth marcou como tango brasileiro? Porque maxixe era um estilo popular, e a alta sociedade jamais tocaria isso. Mas tango brasileiro, tudo bem, é chique, então pode.

Isso tudo é uma bobagem! O Brasil tem música erudita, sim! E música boa! Nossos compositores ficam numa linha entre o erudito e o popular. Nós não temos peças como as de Bach, Beethoven e Mozart porque nosso povo e nossa cultura é muito diferente dos europeus. Nossas peças são cheias do balanço e até mesmo da malandragem brasileira. Isso não quer dizer que sejam piores. Isso não quer dizer que quem toca Chopin pode olhar com desprezo pra Chiquinha Gonzaga. Fazer isso é ter uma mente muito fechada.

Curiosamente, os estrangeiros sabem valorizar nossa música. Villa-Lobos é citado no livro Classical Music, que tem uma listagem dos 50 maiores compositores de todos os tempos, por exemplo.

Eu tenho orgulho de viver no país que tem Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Zequinha de Abreu, Chiquinha Gonzaga, Francisco Mignone, Antônio Carlos Gomes, Camargo Guarnieri, Luiz Cosme, entre vários outros. Todos deveriam ter. Valorizem a nossa música!


http://youtu.be/DFwNXoEzRgY

Posts relacionados:


2 Responses to Feliz dia nacional da música clássica! (+ reflexão)

  1. LoL @pessoas que não tocam Nazareth pois é música de bar.

    Até porque deveriam deixar de tocar metade do repertório de Chopin, e mais uns trocentos compositores europeus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *