Review: Rock in Rio 2011 (dia 25)

Olá, olá! Eu bravamente enfrentei 7 horas e meia de viagem para passar o fim de semana no Rio e participar desse tão falado festival. Vou contar aqui como foi. Então este é um post relatando a minha experiência e minhas visões, nada muito técnico.

Palco Mundo - Rock in Rio 2011
Foto tirada por Bruno Akio. Clique aqui para ver mais

Primeiro sobre o modo de chegar até a Cidade do Rock… Era necessário pegar ônibus que te deixavam a uma distância considerável da entrada. Pelo menos havia uma grande quantidade de ônibus para levar todo o público. Quando cheguei, a fila para entrar já estava atrás do ponto do ônibus, ou seja, enorme. Mas não tinha o menor controle. Perto dos portões, nem era mais uma fila, mas sim um grande amontoado de pessoas. Dava pra furar a fila na maior cara-de-pau.

Antes de sair de casa, vi as pessoas comentando no twitter sobre o grande número de roubos. Fui ler algumas reportagens a respeito e isso me assustou um pouco. Felizmente não tive nenhum problema com isso. Acho que valem as dicas para todo show ou evento grande, né. Esteja acompanhado e atento; dobre sua atenção quando for passar por multidões. Eu acredito que é até melhor levar bolsa ou mochila do que deixar as coisas no bolso. Quando você passa por um amontado de pessoas, é mais fácil colocar sua bolsa ou mochila na frente do corpo e segurar; imagino que no meio da confusão seja mais complicado evitar que algum espertinho pegue o que está no seu bolso.

Quanto à alimentação, tudo que posso dizer é que só vi filas e mais filas. Só comi um pacote de amendoim que tinha levado, então nem reparei nisso. Mas a Amanda me disse que tinha até um lugar vendendo frutas. Isso é legal e tão raro, evento com opção vegan!

Vou dizer que o banheiro até que era bonitinho, nada de banheiro químico feio e sujo. Mas… de que adianta ter uma boa aparência se falha no básico? Sem papel higiênico, sem sabonete, torneira pingando… Desperdício de água por um mundo melhor. Excelente, Rock in Rio. Aliás… Estava totalmente difícil caminhar pelo lugar sem pisar em copos plásticos e embalagens diversas.

Agora vamos à parte que realmente interessa, né? Os shows. Com as devidas setlists.

A programação nos dois palcos onde fui era a seguinte:

Palco Sunset

  • Matanza + B Negão
  • Korzus + The Punk Metal Allstars
  • Angra + Tarja Turunen
  • Sepultura

Palco Mundo

  • Gloria
  • Coheed and Cambria
  • Motörhead
  • Slipknot
  • Metallica

Se quiser ver a programação dos outros palcos, clique aqui

Vi só uma parte do show do Matanza porque entrei tarde lá, mas foi bem legal. Depois fui dar uma volta e voltei pro show do Angra com a Tarja. Foi bom demais! É uma combinação linda. Não consigo descrever a emoção que foi ouvir The Phantom of the Opera. ❤ Queria ter visto o Sepultura, mas achei mais importante conseguir um bom lugar pra ver o Palco Mundo.

Setslist do Matanza
Setslist do Korzus
Setlist do Angra
Setlist do Sepultura

E o lugar que consegui foi totalmente estratégico. No meio do palco tinha um “cercado” da Rede Globo, onde ficava a torre, as câmeras etc. Pois esse lugar não era quadrado, tinha uma aresta diagonal, de modo que se eu ficasse encostada nessa aresta lateral, não tinha ninguém na minha frente por vários metros. É meio difícil de explicar com palavras, mas o fato é que eu conseguia magicamente ver o palco. De longe, mas mesmo assim, considerando minha pequena estatura, isso é ótimo! Sem falar que lá eu conseguia respirar (tenho um histórico de passar mal em show se ficar no meio da multidão), dava pra sentar entre um show e outro e estava bem tranquilo. É o melhor lugar pra pessoas baixinhas, sério!

Gloria

Uma banda relativamente desconhecida. A galera não tava nem um pouco empolgada pra ver, pelo contrário… Mas eles até conseguiram ganhar o respeito do público com o baterista muito bom e a homenagem ao Dimebag Darrell. Achei interessante uma banda de metal cantando em português. Embora eu ache que teria sido mais coerente se tivessem colocado o Angra e o Sepultura nesse palco principal…
Clique aqui para ver a setlist

Coheed and Cambria

Outra banda não muito famosa. O que posso dizer… O vocalista tem uma grande semelhança com cachorro lhasa apso (o Floquinho). É chato que ele não tem muita presença de palco, ou seja, não interage com o público. Só teve um ou dois “obrigados”. Não sei o que ele tava agradecendo, porque o pessoal não tava ligando muito. Onde eu estava, a maioria sentou e um cara do meu lado até dormiu. Eu fiquei lá em pé olhando. Apesar de não conhecer a banda, já que estava lá, queria aproveitar.
Clique aqui para ver a setlist

Motörhead

Aí sim todo mundo levantou e começou a curtir pra valer. Uma banda esperada, com um show empolgante e repertório legal. É Motörhead. Mesmo não sendo uma das minhas bandas preferidas, eu gosto bastante e foi muito bom ter essa chance de vê-los ao vivo!
Clique aqui para ver a setlist

Slipknot

Outra banda que não é uma das minhas preferidas, mas subiu bastante no meu conceito depois desse show. Uma setlist muito boa, uma interação com o público melhor ainda… Sério, aconteceu algo que eu pensei que nunca fosse acontecer na minha vida: eu passei a mão em um dos caras da banda, lol! Eu disse que fiquei do lado da torre de transmissão da Globo, né? Pois eles se revezaram pra dar uma passada ali… Eu consegui encostar no palhaço! Também teve o narigudo que pulou lá de cima e um outro que foi e… derrubou o banheiro químico dos caras da Globo. Gente, que sacanagem! Imagina só se tivesse alguém lá dentro?!
Clique aqui para ver a setlist

Metallica

Agora, sim. Eis aí a única razão de eu ter me deslocado ao Rio; os outros shows foram lucro. Metallica é a minha banda preferida, e esse é o segundo show em que vou. ❤ A setlist seguiu o mesmo padrão dos shows do ano passado, muito boa. Fiquei feliz porque tocaram músicas que não ouvi no show em SP, como All nightmare long, Ride the lighting, Fuel, Cyanide… Nossa, eu curti demais esse show. Fiquei lá feliz da vida no meu bate cabelo. Mas moderadamente, porque dado o pouco espaço e o tamanho do meu cabelo, se eu me empolgasse, mataria uma meia dúzia…
Clique aqui pra ver a setlist

Enfim. Apesar de eu ter ficado traumatizada com o trânsito do Rio de Janeiro, achar que o metrô carioca não faz sentido, terem zoado meu sotaque, valeu demais a pena!

Você também foi e quer deixar sua opinião? Tem fotos? Poste nos comentários!

Quer ver as setlists de todos os shows do Palco Mundo e Palco Sunset? Veja aqui!

Posts relacionados:


6 Responses to Review: Rock in Rio 2011 (dia 25)

  1. Velhão, eu estava lá e pirei!!! o Motorhead classicasso, quando escuto o som dos caras ja imagino a mulherada dançando seminuas e subindo nas nossas motos, KKKK. O Slipknot foi sensacional, parecia que acabaram de sair de um manicomio e foram tocar, loucura total…O Metalica sem palavras, incrivel, tocaram como se fosse a primeira vez, setlist de 1ª colocou todo mundo pra balançar a cabeça, os caras mandaram muito bem…..Sensacional!!!!!!! Marcou a minha vida (parece exagerado), não vou mais esquecer.

  2. pow sem duvida na minha opiniao todos os shows foram incriveis serio mesmo ….
    mas naum tem comparação com o slipknot.. esse sim foi baum de masi da conta.. puta q pariu demorou uns 3 dias pra eu acreditar q aconteceu mesmoo…
    nossa eu tava nakela mega roda punk por prazer mesmo ,o metal corre na veia… foi muito fodaa mesmoo
    foi issu q mes fez sair de nanuque-mg.. quase 2.000 km ..
    slipknot sempre …….!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *