Creepypasta: As frequências perdidas de Lavender Town’s Theme

Olá! Hoje vou postar aqui um creepypasta com tema musical; creepypastas são histórias de terror. Tem muitos relacionados a games, principalmente Pokemon. Vou traduzir aqui um que é sobre a música da cidade de Lavander nos jogos da primeira geração. Como aquela é a cidade onde fica o cemitério Pokemon e os fantasmas, é normal que a maioria das histórias envolva essa música.

O mistério das frequências perdidas de Lavender Town

Eu conheci meu melhor amigo no primário. Nós dois levamos nossos Gameboys para a escola um dia e notamos que tínhamos isso em comum. Eu tinha a versão Blue [de Pokemon] e um Venusaur, ele tinha a versão Red e um Charizard. Eu e ele batalhávamos sempre que podíamos e nos tornamos grandes amigos. Conforme os anos passaram, continuamos jogando Pokemon, mesmo durante o colegial. E mesmo através de todas as gerações de Pokemon pelas quais passamos, as batalhas nunca se tornaram sem graça.

Conforme nos aproximamos da faculdade, tivemos que seguir caminhos diferentes. Não nos falamos muito depois disso; nós tínhamos vidas muito ocupadas na faculdade. Achei que nunca mais fôssemos ter a amizade que tivemos um dia. Então, Pokemon Diamond e Pearl foram lançados em 2007 e nós mais uma vez curtimos nosso interesse em comum pela série. Batalhamos e conversamos via Wi-fi praticamente todos os dias por algumas semanas depois do lançamento.

Meu amigo me disse que tinha planejado jogar sua versão Red de novo. Como haviam passado mais ou menos três meses depois do lançamento de Diamond e Pearl, não jogávamos mais como antes. Perguntei a ele por que ele queria jogar aquele velho cartucho empoeirado, e ele respondeu: “Não sei, talvez eu encontre algo que ninguém encontrou antes.”

Apesar da minha falta de vontade de jogar de novo minha versão Blue com ele, ele jogou sua versão Red. Depois dele começar sua jornada, nunca mais falei com ele. Umas três semanas depois, recebi uma ligação dos pais do meu amigo.

Apesar dele não ter problemas similares antes, ele morreu do que se supôs ser uma intensa convulsão. Ele estava sozinho em seu dormitório até que um colega de quarto, que infelizmente chegou tarde demais, o encontrou caído no chão, sem vida, e estranhamente usando seus fones de ouvido preferidos. Eu saí o mais depressa que consegui para ir ao seu funeral. Seu colega de quarto, que foi também, me disse que alguns dias antes do incidente meu amigo estava ficando obcecado pela cidade de Lavender e sua música. Meu amigo aspirava se tornar um engenheiro de som depois de se formar e tinha uma grande quantidade de habilidades com áudio à sua disposição. Ele sempre podia escutar sons baixos vivamente enquanto eu falhava em sequer reconhecê-los.

Assim que ele redescobriu a cidade de Lavender, ele passou o áudio para seu computador e começou a fazer experiências com ele. Curiosamente, ele se gabou de ter encontrado uma música rara da primeira leva que foi distribuída da versão exclusiva japonesa Green. Não se referindo especificamente à versão especial japonesa, ele disse ao seu companheiro de quarto que “As frequências desta música são diferentes; elas se misturam de um jeito especial. Mas tem alguma coisa faltando. Eu acho que algo deveria ter sido mixado, mas não poderia funcionar no Gameboy. Ele era tão limitado em termos de largura de banda de som.” Eu tive a chance de mexer em seu laptop uma última vez, então olhei sua lista de Itens Recentes. No topo estava “lavender.wav”. Junto com algumas poucas fotos de nós dois juntos, copiei esse arquivo para meu flash drive. Pego na minha tristeza pela morte do meu melhor amigo, ignorei o arquivo de áudio até algumas semanas antes de escrever isto. De alguma forma decidi que precisava retraçar o que havia acontecido.

Guiado pelo meu desejo de saber o que causou sua morte prematura, abri a caixa de diálogo do arquivo de áudio, sem abrir o o arquivo para ouvi-lo. Junto com a seção de comentários dos metadados, ele havia escrito “tons binaurais, eu adcionei as frequências necessárias, eu sei por que o tema de Lavender soa tão triste, e eu sei que parte estava faltando.” Mesmo assustado, olhei em seu programa de áudio padrão (ainda sem ouvir o arquivo) e encontrei um contador de quantas vezes o arquivo foi tocado. Uma vez. Conversei com um entusiasta do som online na esperança de decifrar esses comentários secretos. Ele me deu um software especial que analisaria o áudio em tempo real e disse que era o máximo que podia ser feito. Este vídeo é uma tela gravada da execução do software previamente mencionado com o arquivo de áudio original. Até este dia eu não ouvi o áudio, já que estou muito perturbado emocionalmente pela morte do meu melhor amigo, Anthony.”


http://www.youtube.com/watch?v=MK2iLnTR9V8

Aí está o vídeo… Tem coragem de ouvir? Eu ouvi e ainda estou viva. Até o momento, esse vídeo foi ouvido 486.475 vezes e acho que ninguém morreu…

Há uma outra história que diz que a música de Lavender na versão Green provocou mais de 100 suicídios e por isso foi alterada nas versões Blue e Red. Histórias assim não têm muita graça por caírem no exagero. Mas dizem também que algumas frequências dessa música causavam mal estar em crianças com ouvidos mais sensíveis. Isso até é um pouco mais plausível, mas acho que não aconteceu de verdade.

Atenção! Você quer ver toda a verdade sobre essa história, o que são ondas binaurais, espectograma e muito mais? Sabia que dá mesmo pra inserir imagens no arquivo de áudio? Eu achei que aquilo fosse uma edição no paint, mas é o som mesmo que forma a imagem do fantasma! Veja tudo isso neste post super completo no Passagem Secreta!

Se você quiser me ouvir tocando essa música no piano, clique aqui!

E se você gosta de histórias assim, vou colocar alguns links (em inglês):

Pokemon Creepy Black
Pokemon Lost Silver
Outras histórias
Tumblr só com histórias de Pokemon
E MAIS histórias de Pokemon

Posts relacionados:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *