Diário de viagem: VI Jornada de Estudos em Educação Musical

Oi! Nos dias 22, 23 e 24 de setembro aconteceu a VI Jornada de Estudos em Educação Musical, na Ufscar. Fui pra lá pela segunda vez, pois gostei muito da proposta temática do ano passado (veja o post aqui!) e do curso de Música da Ufscar em si. :)

jeem1
oficina com Margareth Darezzo

PRIMEIRO DIA

Ao contrário do ano passado, dessa vez fui de carro e com uma companheira: a Geovana. Foi uma grande aventura conseguir chegar… O Google não decidia qual o melhor caminho, a gente pagou um pedágio a mais, pegamos uma entrada errada em São Carlos e A BATERIA DO CELULAR ACABOU. Pânico. Desespero. Mas chegamos. Atrasadas, mas chegamos.

Conseguimos pegar o finalzinho da primeira palestra: Saberes necessários para a docência em Música, com a profa. dra. Luciana Del Bem, da UFRGS. Depois do almoço, vimos várias apresentações de trabalho. A parte das comunicações orais é sempre uma das minhas preferidas, acho muito inspirador ver o que as pessoas andam fazendo, pesquisando, construindo. Sempre saio com várias ideias novas para praticar e pesquisar!

Após as comunicações, tivemos o lançamento do livro Processos educativos e práticas sociais em música: um olhar para educação humanizadora, organizado pela Ilza Joly e Natália Búrigo Severino. Fiquei muito feliz por ver o primeiro livro da querida Natália! E tem um capítulo de uma outra professora que mora no meu coração, a Liana Serodio. ❤

Para terminar, uma mesa muito boa: Necessidades educacionais especiais e inclusão escolar, com a profa. dra. Carla Ariela RIos Vilaronga, da UFSCar, Vanessa Cristina Paulino, técnica em assuntos educacionais do curso de Licenciatura em Educação Especial da UFSCar e profa. dra. Enicéia Gonçalvez, da UFSCar. Nessa mesa ficamos sabendo como funcionam as políticas de inclusão na cidade de São Carlos, além de ver várias fotos de materiais adaptados confeccionados para pessoas com deficência. Descobri também que a UFSCar é uma das poucas universidades no país que possui o curso de Licenciatura em Educação Especial.

SEGUNDO DIA

O segundo dia começou com comunicações orais, que seguiram até depois do almoço. A minha foi a primeira depois do intervalo. Apresentei o trabalho A pedagogia de projeto no contexto de aulas de musicalização. Também é sempre muito legal apresentar trabalhos e compartilhar experiências. :) Só o horário que não é tão legal, porque o pessoal atrasa pra voltar do almoço. Snif. Mas faz parte.

jeem2

Depois das comunicações, tivemos a mesa redonda Escola, juventudes e música, com a psicóloga Mariana Giannecchini Ferrari e a profa. dra. Margarete Arroyo, da Unesp. Esse é um tema muito interessante, pois sempre estudamos o trabalho de musicalização com crianças. Como trabalhar com jovens? A mesa deu várias ideias para realizar esse trabalho.

Tivemos na sequência uma apresentação dos vencedores do concurso de composição de músicas infantis do curso de Música da Ufscar. Achei sensacional. Teve músicas com várias formações instrumentais. É bem legal que a Ufscar dê esse incentivo para os alunos da licenciatura comporem músicas que de fato poderão usar. ((enquanto na Unicamp eu sou obrigada a compor sonata clássica, prelúdio romântico…))

Para terminar o dia com chave de ouro, aconteceu uma mesa com Margareth Darezzo e a profa. dra. Aline Sommerhalder, da UFSCar, com o tema O universo infantil: entre o brincar e o aprender. Adorei a Margareth! Hahaha. Já adorava os livros dela, adorei conhecê-la pessoalmente. A profa Aline também contribuiu muito para a mesa. Pudemos aprender sobre o universo infantil desde bebês.

TERCEIRO DIA

O último dia da JEEM foi reservado para os minicursos. Havia quatro opções: Saberes necessários à docência de música, Ensino de música para pessoas com deficiência, Educação musical para adolescentes e jovens e Música e brincadeira para bebês. Foi muito difícil escolher (como sempre), mas escolhi os cursos com Margarete Arroyo e Margareth Darezzo, que participaram das mesas redondas no dia anterior.

O da Margaret Arroyo foi essencialmente prático, após algumas atividades para aquecer, criamos em grupo um arranjo para a música De magia e dança e pés, de Milton Nascimento. (adorei a música e já pensei em formas de trabalhar com ela, hehe) Foi uma vivência muito bacana! A professora foi pontuando com ideias e sugestões para realizar esse trabalho com jovens. Escolhi esse curso porque não tenho muito contato com jovens, dou aula para uma faixa etária majoritariamente de crianças.

O curso da Margareth Darezzo, pelo contrário, eu escolhi porque comecei a trabalhar com bebês e estou precisando desesperadamenteeee de ideias e conteúdos. A oficina dela foi inteiramente lúdica, como seus livros. Ela alternou momentos de prática com momentos de teoria, também fundamentais para a compreensão do que é o ensino musical para seres humaninhos tão pequeninos. Foi uma tarde muito enriquecedora e inspiradora! Ah, já escrevi aqui sobre um livro dela, o Quem vem lá. Depois escrevo sobre o Canteiro, livro que comprei na Jeem.

Só achei estranho porque estava previsto um encerramento no cronograma, mas ele não aconteceu. Fomos para o outro prédio e não tinha ninguém lá. Ué. Também senti falta dos grupos de discussão… :(

De qualquer forma, voltei para casa muito feliz com os conhecimentos adquiridos, com as experiências vividas, com as pessoas que conheci (vários moços de outros estados, muito legal!) e com as coisinhas que comprei :) Depois edito com uma foto, é que comprei o kit de castanholas de bichinho do Marcel mas ele ainda não chegou porque estava faltando a caixinha. A viagem de volta foi mais tranquila também, felizmente não nos perdemos e conseguimos com sucesso dar carona para os migos até o aeroporto de Viracopos e a rodoviária de Campinas.

Mais uma vez recomendo muitíssimo a JEEM para quem quiser de fato realizar uma jornada na educação musical e conhecer a Ufscar, onde há um trabalho realizado com um olhar muito sensível e humanizador. A Ufscar também é lindíssima, cheia de natureza. E há um restaurante perto dela que oferece prato feito com opção vegetariana por 5 reais!!! Perto da Unicamp é impossível encontrar qualquer coisa semelhante por menos de 14 reais. O único ponto negativo da Ufscar é que lá não existe a preferência do pedestre, muita gente reclama na Unicamp mas pelo menos na maioria das vezes as pessoas param. Na Ufscar você corre o risco de passarem por cima… Como o calendário letivo está atrasado por conta de greves, a JEEM está acontecendo em período de férias, então ainda não tive a oportunidade de conhecer a universidade em seu período normal.

jeem3
piquenique!

Até a próxima!

Posts relacionados:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *