Conhecendo mais o Piano – Parte 2: o Retorno \o/

Já falamos da parte mecânica, agora falaremos um pouco da parte histórica da coisa. Post ‘wikipedia style’, mas creio que vocês irão gostar =)

Aí vai:
O piano apareceu em 1474 e foi criado por Robert Andersan. Mas a primeira referência sobre o piano foi publicada em 1711, no “Giornale dei Litterati d’Italia” por motivo de sua apresentação em Florença pelo seu inventor Bartolomeo Cristofori. A partir desse momento sucedem-se uma série de aperfeiçoamentos até chegar ao piano atual. A essência da nova invenção, residia na possibilidade de dar diferentes intensidade aos sons e por isso recebeu o nome de “piano-forte” (que vai do piano ao forte) e mais tarde, reduzido apenas para piano. Tais possiblidades de matizes sonoras acabou por orientar a preferência dos compositores face ao clavicembalo.
Os pianos modernos, embora não se diferenciem dos mais antigos no que se refere aos tons, trazem novos formatos estéticos e de materiais que compõem o instrumento. Um piano é um instrumento musical de corda percutida. Também é definido modernamente como instrumento de percussão porque o som é produzido quando os batentes, cobertos por um material macio e designados martelos, e sendo ativados através de um teclado tocam nas cordas esticadas e presas numa estrutura rígida de madeira ou metal. As cordas vibram e produzem o som. Como instrumento de cordas percutidas por mecanismo ativado por um teclado, o piano é semelhante ao clavicórdio e ao cravo. Os três instrumentos diferem no entanto no mecanismo de produção de som. Num cravo as cordas são beliscadas. Num clavicórdio as cordas são batidas por martelos que permanecem em contacto com a corda. No piano o martelo ressalta de imediato após tocar nas cordas e deixa a corda vibrar livremente.
Embora seja definido modernamente como um instrumento de percussão, o piano não pode ser considerado desta maneira, pois não possui função rítmica, além disso, instrumentos de percussão não permitem a execução da escala musical.

O piano é amplamente utilizado na música ocidental, no jazz, para a performance solo e para acompanhamento. É também muito popular como um auxílio para compor. Embora não seja portátil e tenha um preço caro, o piano é um instrumento versátil, uma das características que o tornou um dos instrumentos musicais mais conhecidos pelo mundo.

Tipos de piano
Existem duas versões do piano moderno: o piano de cauda e o piano vertical.
O piano de cauda tem a armação e as cordas colocadas horizontalmente. Necessita por isso de um grande espaço pois é bastante volumoso. É adequado para salas de concerto com tetos altos e boa acústica. Existem diversos modelos e tamanhos, entre 1,8 e 3 m de comprimento e 620 kg.

O piano vertical tem a armação e as cordas colocadas verticalmente. A armação pode ser feita em metal ou madeira. Os martelos não beneficiam da força da gravidade.
Pode-se considerar um outro tipo de piano: o piano automático ou pianola. Trata-se de um piano com um dispositivo mecânico que permite premir as teclas numa sequência marcada num rolo.

Alguns compositores contemporâneos, como John Cage, Toni Frade e Hermeto Pascoal, inovaram no som do piano ao colocarem objectos no interior da caixa de ressonância ou modificarem o mecanismo. A um piano assim alterado chama-se piano preparado.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Piano

Espero que tenham curtido, logo logo vem mais por aí o/

Posts relacionados:


7 Responses to Conhecendo mais o Piano – Parte 2: o Retorno \o/

  1. Muito bom! Só agora eu entendi porque piano de armário é também chamado de piano vertical. =OQuero ver só o que vem por aí! o/(ah, acho que o texto ficaria mais "bunitinho" visualmente se você pulasse linha entre os parágrafos)

  2. Ches:Pois é, eu também tinha esa curiosidade ^^"Quero ver só o que vem por aí! o/"Aguarde e confie uhuuul o/"(ah, acho que o texto ficaria mais "bunitinho" visualmente se você pulasse linha entre os parágrafos)"Feito ;)

  3. O vizinho aqui tinha um piano vertical. Não sei que fim o piano levou… Os vizinhos se mudaram, e a casa está vazia.Sobre o post:Interessante,mas quem criou o piano afinal, Robert Andersan ou Bartolomeo Cristofori?Sobre ser considerado instrumento de percussão, acho que vi um tempinho atrás um garoto na tv tocando batendo ou beliscando as cordas, ou algo assim, e tavam falando disso.Só não lembro onde vi…

  4. Ang:Sabe o que é mais esquisito? Eu não consegui achar referência alguma sobre o Robert Andersan!O único lugar que cita o nome dele é o wikipedia O_O'O que se pode deduzir então é que ele tenha criado um 'rascunho' do que o piano viria a se tornar, mas quem realmente desenvolveu a idéia criou o piano próximo ao que conhecemos hoje (já que ele foi aperfeiçoado por outras pessoas de 1711 pra cá) foi mesmo o Bartolomeo Cristofoli =)

  5. Shoooowww de bola.Falando em história: Voces sabiam que as "levadas" com a mão esquerda foram criadas porque os pianistas não tinham bateristas e baixistas para acompanhar sua performance?Aprendi num curso da EDON! :D

  6. César:
    Que bom que vc gostou ^^

    Nossa, dessa eu não sabia! =D
    Mais um assunto pra pesquisar hehe ^^

    Eu já ouvi falar da EDON, é uma escola especializada em ensino à distância, né? Eu já baixei algumas vídeo aulas que eles disponibilizam no site, são MUITO boas =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *