Roberto Carlos – 50 anos de sucesso e emoções

Roberto Carlos é um dos artistas brasileiros que eu mais respeito e admiro. Afinal, 50 anos na estrada e fazendo sucesso não é para qualquer um, né? Por isso resolvi prestar uma pequena homenagem a ele com este post =)

Aqui está um pouco de sua história, indo desde sua infância até os dias atuais. Espero que vocês gostem =)

“Roberto Carlos Braga (Cachoeiro de Itapemirim, 19 de abril de 1941) é um cantor e compositor brasileiro.
É o artista latino-americano que teve mais discos vendidos e o cantor brasileiro que mais vendeu discos no mundo. Em 50 anos de carreira, completados em 2009, vendeu cerca de cem milhões de álbuns. Os temas que mais aparecem em suas composições (em parceria com Erasmo Carlos) são o amor e a fé. Nesses 50 anos de carreira, fará uma turnê de comemoração de 50 anos, cuja primeira apresentação foi em Cachoeiro de Itapemirim , sua cidade natal, no dia em que completou 68 anos. O show foi no estádio do Sumaré, em 19 de abril de 2009.”

“Nascido no interior do Espírito Santo, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim, é o quarto e último filho do relojoeiro Robertino Braga e da costureira Laura Moreira. A família morava no bairro do Recanto, numa casa modesta, no alto de uma ladeira. Os demais membros da família eram: Lauro Roberto Braga, Carlos Alberto Braga e Norma Moreira Braga, a qual Roberto Carlos carinhosamente chamava Norminha.
Apelidado na infância como “Zunga”, ainda criança aprendeu a tocar violão e piano – a princípio com sua mãe e, posteriormente, no Conservatório Musical de Cachoeiro de Itapemirim. O ídolo na época era Bob Nelson, um artista brasileiro que se vestia de cowboy e cantava música “country” em português.
Incentivado pela mãe, cantou pela primeira vez em um programa infantil na Rádio Cachoeiro, aos nove anos. Apresentou-se cantando o bolero “Amor y más amor”. Como prêmio pelo primeiro lugar, recebeu balas. O cantor recordaria anos depois o momento, relatado na obra “Roberto Carlos em Detalhes”, de Paulo Cesar de Araújo: “Eu estava muito nervoso, mas muito contente de cantar no rádio. Ganhei um punhado de balas, que era como o programa premiava as crianças que lá se apresentavam. Foi um dia lindo.” Tornou-se então presença assídua do programa, todos os domingos acreditando no seus sonhos de cantar.

Aos 12 mudou-se para Niterói com a família, e começou a fazer amizades com outros rapazes que gostavam de música, especialmente o rock’n’roll que vinha dos Estados Unidos.

Em 1957 formou com alguns amigos, inclusive Tim Maia, o conjunto “Os Sputniks”. No ano seguinte já era integrante do “The Snakes”, junto com Erasmo Carlos. Com esse grupo chegou a participar do programa Clube do Rock, de Carlos Imperial, na TV Continental. Gravou alguns compactos no final da década de 50 e em 1961 lançou o primeiro LP, “Louco por Você”.

A partir daí passou a investir, com apoio da gravadora CBS, no incipiente mercado de música jovem. Para isso juntou-se ao amigo Erasmo e passou a fazer versões e compor músicas como “Splish Splash”, “O Calhambeque”, “É Proibido Fumar” e outras que visavam ao filão juventude transviada, criando o primeiro movimento de rock feito no Brasil.

Em 1965 estreou, ao lado de Erasmo e Wanderléa, o programa Jovem Guarda, na TV Record, que daria nome ao movimento. O desafio do programa era manter a elevada audiência das tardes de domingo, até então garantida pela transmissão dos jogos de futebol e agora ameaçada, já que as transmissões haviam sido proibidas. O programa não só manteve a audiência, como conseguiu aumentá-la.

Roberto Carlos foi um dos primeiros ídolos jovens da cultura brasileira. Além do programa e dos discos, estrelou filmes, inspirados no modelo lançado pelos Beatles nos anos 60. O primeiro longa, “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”, foi lançado em 1967, seguido por “Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa” e “Roberto Carlos a 300km por Hora”.

Nos anos 70, com o esmorecimento do movimento da Jovem Guarda, muda de estilo e torna-se um cantor e compositor basicamente romântico. Foi a partir daí que seu público-alvo deixou de ser o jovem e passou a ser o público adulto. Nessa linha, seus grandes sucessos são “Detalhes”, “Emoções”, “Café da Manhã”, “Força Estranha”, “Guerra dos Meninos”, “Fera Ferida”, “Caminhoneiro”, “Verde e Amarelo”. Recentemente passou a dedicar-se mais ao filão religioso de sua obra, com o sucesso da música “Nossa Senhora”.

A carreira de Roberto Carlos é superlativa. Desde 1961 conseguiu a incrível façanha de lançar um disco inédito por ano, interrompida apenas em 1999 por causa da doença de sua então esposa, Maria Rita, que viria a falecer. Nos últimos anos esse lançamento acontece invariavelmente no Natal. Seus discos já venderam milhões de cópias e bateram recordes de vendagem (em 1994 bateu a marca de 70 milhões de discos vendidos). Fez milhares de shows em centenas de cidades, no Brasil e no exterior. Seu fã-clube é um dos maiores de todo o mundo. Dezenas de artistas já fizeram regravações de suas músicas. Já lançou discos em espanhol e inglês, em diversos países. Atualmente continua se apresentando com freqüência e todo ano produz um especial que vai ao ar na semana do Natal pela TV Globo, mesma época do lançamento dos seus discos anuais.

Em 2001 gravou seu Acústico MTV, CD aguardíssimo e polêmico, já que não pode ser exibido pela MTV Brasil, uma vez que o artista possuía um contrato com a Rede Globo, que não permitia sua imagem em outras emissoras de TV. Este álbum reúne os grandes sucessos de sua carreira, além de nomes consagrados na MPB, como Samuel Rosa, do Skank (em “É Proibido Fumar”), Toni Belotto, dos Titãs (em “É Preciso Saber Viver”)e o gaitista Milton Guedes (em “Parei Na Contramão”).

Após longa espera, em 2003 o “Rei” presenteia os fãs com este novo álbum “Pra Sempre”, repleto de canções inéditas, entre elas a faixa-título que é um fox no estilo “Emoções”, e declara seu amor eterno a Maria Rita. Em 2005 lança seu disco “Roberto Carlos 2005”, que traz em seu repertório nove faixas, incluindo “Loving You”, a balada lançada por Elvis Presley em 1957; “Promessa”, música composta por Roberto e Erasmo Carlos para Wanderley Cardoso em 1965; “Coração Sertanejo”, sucesso de Chitãozinho & Xororó em 1996.”

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_carlos
http://www.cliquemusic.com.br/artistas/roberto-carlos.asp

Bom, é apenas um resumo sobre a vida e história desse grande artista brasileiro, mas espero que consiga despertar a curiosidade e agradar a quem ler =)

Até a próxima galera o/

Posts relacionados:


5 Responses to Roberto Carlos – 50 anos de sucesso e emoções

  1. Bicho…
    Esse post é mó brasa mora?
    São tantas emoções…XDDDDD.
    Até que eu curto algumas músicas dele, mas minha mãe quando coloca as fitas (isso mesmo, fitas k7)no rádio da cozinha…ninguém segura! Não importa se o povo daqui de casa quer dormir até mais tarde no fim de semana…ela acorda todo mundo mesmo! XDDDDD.

  2. Ches:
    Eu não vou dizer que sou super-power fã dele, nem que tenho todos os discos e talz… mas eu curto as músicas sim, apesar de não ser meu estilo preferido ^^
    Eu gosto principalmente das mais antigas, que puxam para o rock e talz, como vc disse, elas são muito divertidas \o/

    Eagleheart:
    hsauhsuahsuahsuahsau
    Meus pais são mó fãs dele ^^ quando ele encanam que querem ouvir RC, aí vai com ele o dia todo XD hsauhsuashua

  3. RC tem muitas músicas bacanas. Não digo que sou fã de carteirinha, mas ouço uma coisa ou outra dele vez em quando.

    Afinal, aquilo era uma brasa, mora?

    o/
    David – Anon

  4. Pingback: Um ano de blog | Nocturne in the Moonlight

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *